15 de junho: Dia mundial da conscientização da violência contra o idoso

Publicado em 15/06/2020

Hoje, 15 de junho, a Apevo lembra o Dia Mundial da Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa. A data foi criada em 2006, pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa com o objetivo de criar uma consciência da existência da violência contra o idoso, além de disseminar a ideia de não aceitá-la como normal.

Em 2019, o último levantamento feito pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, revelou que o canal de denúncias Disque 100 registrou um aumento de 13%, em 2018, no número de denúncias sobre a violência contra o idoso em relação a 2017. A maioria das agressões foi cometida nas residências das vítimas (85,6%), por filhos (52,9%) e netos (7,8%). As mulheres são as mais suscetíveis, sendo 62,6% das vítimas.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), há no mundo mais de 705 milhões de pessoas acima de 65 anos. As estimativas apontam um crescente desequilíbrio entre os mais velhos e os mais jovens até 2050 – haverá mais pessoas com mais de 65 anos para cada uma entre zero e quatro anos. Isso indica que as pessoas estão vivendo mais e tendo cada vez menos filhos.

Os idosos fazem parte de uma camada mais vulnerável, assim como as crianças, mulheres e portadores de deficiência, por exemplo. Com isso, as ações governamentais devem incluir praticas de conscientização contra a violência para com os idosos e medidas que visem oferecer uma boa qualidade de vida para este grupo.

 

Tipos de violência

A violência não consiste só na agressão, ela também pode ser: psicológica – que corresponde a agressões verbais ou gestuais com o objetivo de aterrorizar, humilhar, restringir a liberdade ou isolar do convívio social; abuso financeiro ou material – é uma das ações mais praticadas pelos membros da família devido aos problemas de locomoção ou de incapacidades psíquicas de controlarem seus rendimentos e patrimônios; sexual – refere-se ao ato ou jogo sexual de caráter homo ou hetero-relacional, utilizando pessoas idosas; abandono – uma violência que se manifesta pela ausência ou deserção dos responsáveis governamentais, institucionais ou familiares de prestarem socorro a uma pessoa idosa que necessite de proteção e assistência; negligência – refere-se à recusa ou à omissão de cuidados devidos e necessários aos idosos por parte dos responsáveis familiares ou institucionais; medicamentosa – administração por familiares, cuidadores e profissionais dos medicamentos prescritos, de forma indevida, aumentando, diminuindo ou excluindo os medicamentos; e, emocional e social – refere-se a agressão verbal crônica, incluindo palavras depreciativas que possam desrespeitar a identidade, dignidade e autoestima.

 

Denuncie

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), um em cada seis idosos é vítima de algum tipo de violência. No Brasil, conforme o Estatuto do Idoso (Lei 10.741), a violência contra idosos é crime e, portanto, não deve ser encarada como algo normal. Discriminar pessoa idosa pode levar o agressor à prisão por até cinco anos e ainda pagar multa. A pena pode ser aumentada se houver agressão física, se o agressor for responsável pelo idoso.

As denúncias podem ser feitas pelo Disque 100, que funciona diariamente. As ligações podem ser feitas de todo o país por meio de discagem gratuita, de qualquer telefone fixo ou móvel, bastando discar 100.

Informações:

Horário de atendimento:
De segunda a sexta-feira, das 8h às 17h


Sede Apevo:
Rua Antônio Fernandes, 50 – Centro – Votorantim – SP

Telefones: (15) 3243-2410 | (15) 3353-8080


Unidade de Saúde Apevo:
Rua Sebastião Lopes, 97 – Centro – Votorantim – SP

Telefone: (15) 3353-9800